terça-feira, 24 de junho de 2014

               MENTIRA  NACIONAL
               

     Olha mas que surpresa… Portugal não foi campeão do mundo. 
       Nem foi finalista. 
       Nem foi semifinalista. 
      Nem foi aos quartos, nem aos oitavos de final. 


     E era para ser. Campeão. Pelo menos, era candidato. E dos mais fortes e conceituados – 5º lugar no ranking. E tinha o melhor jogador do mundo…
         E Cristiano Ronaldo, o melhor do mundo, parece que só o é às vezes. E quando joga no Real Madrid.


      Portugal foi campeão, sim, mas nos penteados, nas bizarrias terceiro-mundistas da aparência. Nenhuma outra selecção muda tantas vezes de penteado como Portugal. Caso para psicanalista?


         Tudo o mais, para lá dos penteados, foi mentira.
       Aliás, por uma coisa há que cumprimentar a nossa selecção, jogadores, treinadores, médicos, dirigentes, empresários e jornalistas que os promoveram: todos eles se comportaram à imagem do país.


Eles foram o país em toda a grandeza da sua contumaz insignificância provinciana.
Eles foram a auto-satisfeita mediocridade.
Eles foram a inépcia e a incompetência mascaradas pela publicidade enganosa.
Eles foram a pesporrência do trivial novo-riquismo saloio.
Eles foram a feira das vaidades idiotas.
Eles foram o doutoral nacional-situacionismo engravatado.
Eles foram a mentira. 



3 comentários:

  1. Refinada Selecção de... cabeleireiros!...

    ResponderEliminar
  2. De outra forma não poderia ser. O futebol é um jogo de equipa. E nós não sabemos (nem queremos) trabalhar em equipa. Somos demasiado "bons" ao nível individual para nos "perdermos" no colectivo...

    ResponderEliminar